O Blog do Movimento de Moradores do Alto do Lagoal e Vale da Terrugem

Ponto de encontro e mobilização dos habitantes do Alto do Lagoal e Vale da Terrugem dirige-se, também, a todos os interessados pelas questões da cidadania e melhor qualidade de vida.
_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________


sexta-feira, 13 de novembro de 2009

A PSP DE CAXIAS E A REGULAÇÃO DO ESTACIONAMENTO

Rua Croft de Moura, no dia em que foram aplicadas multas na Rua 7 de Junho, ali ao lado, conforme já referimos aqui

A situação descrita em baixo, a fazer fé no artigo do Jornal Público, em baixo (poderá ser lido na íntegra AQUI), é lamentável e deixa-nos a pensar nas motivações "pedagógicas" que orientam as acções dos agentes da PSP.
É nosso entendimento que o trânsito e o estacionamento devem ser regulados. Mas parece-nos que tal deve ter em atencão as situações concretas de falta de estacionamento em determinados locais do Concelho.
...
"Polícias estão a ser avaliados pelo número de multas passadas

Por José Bento Amaro

Sindicatos pedem suspensão dos critérios de avaliação e dizem que as chefias incentivam a caça à multa. Direcção Nacional não comenta
Um agente da PSP da 3.ª Divisão de Lisboa foi avaliado, no final do mês passado, com base no escasso número de autuações de trânsito que efectuou. Num documento interno a que o PÚBLICO teve acesso, o comandante daquela divisão policial justifica a nota 4 dada ao polícia (num quadro que vai de 1 a 10) referindo: "Aponta-se como aspecto elucidativo o facto de ter elaborado três peças de expediente, ter elaborado dois autos de contra-ordenação rodoviária e ter sido testemunha numa detenção." O critério relativo às multas de trânsito não consta da Portaria 881/2003, de 21 de Agosto, que determina os elementos a ter em conta para as notas a atribuir.
Noutras esquadras do Comando Metropolitano de Lisboa já surgiram afixados documentos onde se anunciam pontos a atribuir, individualmente, por cada actividade policial desempenhada. Aconteceu, por exemplo, na esquadra de Caxias, Divisão de Oeiras, onde se informavam os polícias de que, por exemplo, uma contra-ordenação de trânsito vale um ponto, uma detenção vale três pontos e uma multa de trânsito mal passada é punida com dois pontos negativos.
O documento da avaliação da 3.ª Divisão, com a chancela do superintendente Francisco da Costa Ramos, prova que as avaliações na PSP têm em linha de conta as autuações rodoviárias que cada efectivo contabiliza. E desmente, desse modo, a Direcção Nacional da PSP que, ao longo dos meses, e perante as dúvidas suscitadas quer pelos sindicatos policiais quer por polícias que resolveram questionar de moto próprio, sempre negou ser esse um dos factores da avaliação, a qual é fundamental para a hipótese de progressão na carreira.
Ontem, uma fonte da Direcção Nacional da PSP não quis comentar o facto de existirem divisões policiais que contabilizam as autuações rodoviárias como critério de avaliação, referindo apenas que esse critério "não consta da portaria que rege as avaliações".
Sindicatos: suspenda-se
"Até hoje nunca o Sinapol [Sindicato Nacional de Polícia] se pronunciou sobre os rumores que davam conta da contabilização do número de multas como factor de avaliação. A partir de hoje, e porque temos em nossa posse documentos que provam que, efectivamente, o número de multas de trânsito passadas conta para a nota final que cada chefia atribuiu aos polícias, o sindicato não só repudia o critério como vai pedir para que este modelo de avaliação seja suspenso de imediato", afirmou ontem o presidente deste sindicato, Armando Ferreira.
Também o presidente do Sindicato dos Profissionais da Polícia (SPP), António Ramos, revelou ter conhecimento de algumas situações menos claras relativamente aos critérios de avaliação, nomeadamente a existência, em algumas esquadras, de listas onde se atribuem pontos consoante o tipo de autuação efectuada. "Desvirtua a função da polícia, que antes de tudo deve ser preventiva e só depois repressiva. Já por mais de uma vez pedimos explicações à tutela sobre este tipo de situações e vamos fazê-lo novamente", adiantou o sindicalista.
"É uma clara caça à multa", adianta ainda António Ramos, salientando que "são cada vez mais as operações de trânsito estipuladas todos os meses a cada divisão". "Mandam-se os polícias para a rua para multarem, mas, se as multas não atingem os números desejados, castigam-se os polícias, impedindo-os, por lhes serem atribuídas más classificações, de tentarem progredir na carreira", afirmou.
De acordo com a portaria que estabelece os critérios de avaliação, as notas que vão de 4 a 6 são consideradas apenas suficientes e, portanto, quase impeditivas de proporcionar a candidatura aos concursos."
Com os agradecimentos ao Jornal Público, de 12.11.2009

3 comentários:

tobeca disse...

Lamento qua a PSP ande a multar os carros estacionados na via pública em sítios que não prejudicam muito o transito ou em locais perto da estação onde faz falta mais estacionamento e veja noutros locais carros mal estacionados a prejudicar a passagem de peões ou parados à quase um ano sem nada fazerem.
É o caso da Rua Manuel da Silva Moreira Rato à frente do nº 10, onde está quase sempre um carro estacionado a tapar a entrada de acesso às escadas e um carro tapado desde Dezembro de ano passado.Isto a polícia não vê ou não quer ver.

Jorge Luz disse...

Não sejam hipócritas, neste mesmo blog por diversas vezes criticam o civismo dos que mal estacionam e possuem garagem, é diferente nessa rua? Não !!
Mas como foram multados, já arranjam escape, com uma situação de multas verificadas à muito tempo na esquadra de caxias. Politiquices no blog?

ALTO DO LAGOAL E VALE DA TERRUGEM disse...

Ao visitante Jorge Luz
Francamente não percebemos onde quer chegar. As pessoas são livres de expressarem as suas opiniões, estejamos ou não de acordo com elas. Desde que o façam de forma correcta, é bom de ver.
“Politiquices”…de quem? Da redacção do blogue não é com certeza.
AMALVT