O Blog do Movimento de Moradores do Alto do Lagoal e Vale da Terrugem

Ponto de encontro e mobilização dos habitantes do Alto do Lagoal e Vale da Terrugem dirige-se, também, a todos os interessados pelas questões da cidadania e melhor qualidade de vida.
_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________


domingo, 7 de junho de 2009

ACESSIBILIDADES PEDONAIS




















Cerca de metade dos postes de iluminação (Rua dos Cedros e Rua Pêro de Alenquer) estão colocados a meio da rua. Que pensam os nossos visitantes disto? Seria inevitàvel ou haveria alternativa?

2 comentários:

José António disse...

.

Este é um problema com o qual nos debatemos há anos, e que em muito afecta e condiciona a mobilidade, em particular de deficientes e idosos.

A questão remete à largura com que foram construídas as ruas e à largura dos passeios (sobretudo estes).

Em Portugal há o hábito de 'meter o Rossio na Betesga', pelo que para optimizar as urbanizações, ou seja, construir o maior número possível de fogos e obter o máximo de rendimento, projecta-se/constroi-se com a 'bitola' mais pequena permitida pela lei.

Assim, temos ruas estreitas e passeios estreitos (creio que hoje em dia rondam os 70 cm de largura) o que, na medida em que obviamente não se podem colocar os postes nos terrenos loteados, obriga a colocar estes nos passeios, deixando pouco espaço para circular.

Uma solução poderia passar por colocar os postes na borda do passeio, solução que por vezes encontramos, mas que complica com o estacionamento automóvel (abertura de portas).

Outra solução que em tempos se via, mas que parece ter sido abandonada, era da iluminação suspensa em cabos que atravessavam a rua a toda a largura.
Penso que esta solução tinha problemas de segurança, pois veículos muito altos, como camionetas e camiões, batiam nos cabos e arrancavam-nos, além de serem mais sensíveis às intempéries (ventos fortes, p.ex.).
Talvez existam outras complicações nesta solução que agora não estou a ver, como a substituição de lâmpadas, os custos adicionais (necessidade de cabos muito mais resistentes), etc.

Julgo que a única solução viável, sempre dependente do tipo de via, é o recuo dos postes até aos muros dos loteamentos, a colocação/substituição por postes mais estreitos (existem) e, claro, o alargamento (onde possível) dos passeios.

Abraço

.

F Lopes disse...

Olá José António

Obrigado pelo contributo

De facto parece impossível. A procura de explicação leva-nos a pensar que deverá ter havido algum motivo que levasse a colocar os postes no meio do passeio. Será que passavam canos e água, gaz ou electricidade junto aos muretes? Porque de contrário não faz sentido.
Com a rampas somos confrontados com a legislação comunitária que obriga as novas urbanizações mas não as antigas. E quando falamos disso à CMO a resposta é que façam os moradores. Raios....