O Blog do Movimento de Moradores do Alto do Lagoal e Vale da Terrugem

Ponto de encontro e mobilização dos habitantes do Alto do Lagoal e Vale da Terrugem dirige-se, também, a todos os interessados pelas questões da cidadania e melhor qualidade de vida.
_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________


segunda-feira, 15 de junho de 2009

EXPO CELEBRAR OEIRAS VISITADA


Para saber mais clicar AQUI


Já havíamos referenciado AQUI este evento comemorativo e no Sábado decidimos ir ver. Levámos máquina fotográfica, mas apenas podemos fazer a foto exterior (em cima) alusiva a alguns patrocinadores (pensamos nós). A exposição é extensa (demorámos mais de duas horas) e percorre a cronologia desde o período pré-histórico até aos nossos dias. Tem nitidamente finalidades pedagógicas (vitrines perto do chão), informativas e de divulgação de realizações e projectos para o Concelho.

Apercebemo-nos de dois erros de referenciação, de que demos nota ao vigilante, que associavam a Quinta do Jardim - Murganhal, à freguesia de Barcarena

e o Aqueduto de Carnaxide (com outra designação) a outra freguesia.

Consideramos ser uma exposição muito interessante, que mereceria passar por um crivo crítico mais apertado (julgamos nós) e ter uma divulgação mais adequada.

Não existia ainda livro de apreciação dos visitantes, nem qualquer folheto ou guia apropriado. Disseram-nos que estavam à espera de material. A ausência de ar condicionado e algumas montagens em chão desniveladas (sem guardas) tornam o percurso menos fácil e até perigoso (referimo-nos ao núcleo do caminho de ferro).

Fica o nosso desejo de que esta exposição ou parte dela venha a ter um local onde permanentemente possa ser vista.

1 comentário:

José António disse...

.

Caro Fernando,

Pelo que refere parece que esta é uma exposição que merece uma visita que, aliás, eu já tinha pensado fazer.

Fiquei foi com a 'pulga atrás da orelha', como se costuma dizer, sobre essa impossibilidade de tirar fotografias à exposição.

Confesso que não lhe encontro razão. Ela, proibição, é comum p.ex. em museus, quer para proteger as obras dos flashes, quer para 'obrigar' os visitantes a adquirir os postais que os mesmos vendem, quer já agora por razões de segurança em relação ao valor económico de determinadas peças.

Bem sabemos que muitos gatunos fotografam os museus por dentro para depois estabelecerem um plano para os furtos.
Se bem que isto é sempre relativo, pois como alternativa à fotografia um desenhador, mesmo que medíocre, faz o mesmo efeito, e ninguém proíbe, que eu saiba, um suposto estudante de arte de levar um bloco de desenho e fazer uns bonecos... :)

Seja como for, estranho.

Por outro lado essa sua menção às 2 horas para percorrer a exposição também me preocupa, dado o meu estado actual de saúde.
A ver vamos se terei coragem. Ela ainda vai ficar por lá uns tempos.

Abraço,
Z.

.