O Blog do Movimento de Moradores do Alto do Lagoal e Vale da Terrugem

Ponto de encontro e mobilização dos habitantes do Alto do Lagoal e Vale da Terrugem dirige-se, também, a todos os interessados pelas questões da cidadania e melhor qualidade de vida.
_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________


segunda-feira, 6 de abril de 2009

INSTALAÇÃO EÓLICA NA TERRUGEM DE CIMA


(Moinho de Vento instalado numa rotunda situada entre a Quinta do Torneiro, a Quinta da Eira e o Núcleo Urbano da Terrugem de Cima)

Aqui bem perto de nós, está em fase de instalação (?) um moínho de vento idêntico a tantos outros que até há alguns anos atrás enxameavam o nosso Concelho. Produziam energia eléctrica e, principalmente, permitiam a extração de água do subsolo, substituindo as antigas noras accionadas por animais.
Sendo parcos os discursos alusivos à ruralidade de Oeiras, este "memorial" agradou-nos particularmente, pelo que entendemos que a Câmara Municipal de Oeiras está de parabéns. Mesmo sem utilidade prática, que desconhecemos, remete-nos para uma paisagem bucólica e produtiva que Oeiras foi durante séculos.
Quem sabe se, com a crise a instalar-se, esta iniciativa não poderá significar um novo olhar sobre a Terra em que vivemos, aqui, em Oeiras, secular horto e celeiro de Lisboa.

1 comentário:

José António disse...

.

Caro Fernando,

Aqui pela minha freguesia - Oeiras e S. Julião da Barra - ainda se vêem uns quantos desses moinhos (julgo que em rigor 'aeromotores'). Tenho alguns fotografados porque desde miúdo eles sempre me fascinaram.

Dos que tenho visto por aqui, uns quantos parecem ainda em boas condições, mas nunca os vejo a funcionar.
Outros, pelo contrário, estão num estado lastimável, enferrujados, a cair aos bocados, e mesmo sem as pás que os movem.

A maioria deles está situada em pequenas quintas e julgo que sirvam (serviam?) só para extracção de água. Especialmente para rega, pois sabemos que os nossos lençóis friáticos e furos na maioria dos casos não são de água potável.

p.s.: Grato pela visita ao Espaço e Memória.

Abraço

.